Tu és
J.R.Cônsoli

Tu és a flor do campo não colhida
que embeleza a manhã, perfuma a noite,
e no encontro com o vento que é um açoite
nada te fere as pétalas nascidas.

Teu colorido de ternas nuanças,
tua brandura... que delicadeza!
Enchem-me o peito de mil esperanças
farta-me o coração tanta certeza.

Queria ser a cor que te acentua,
a gotinha de orvalho que te enfeita,
a abelha que te beija a luz da lua
que te ilumina delicadamente.

Enfim, desejo o que ninguém enjeita,
admirar-te sempre... alegremente.

=========================


Tu és
Cida Valadares



No balançar do vento me escondi,
embeleza-me o orvalho, como purpurina
que o sol reluz... como se estrelas fossem
as pétalas que guardo, só para ti.

E me coloro, sim de esperança
meus gestos confinam sutileza
querem preencher tuas lembranças
bailando, sutilmente, e com leveza.

E, em minha face um brilho acentua
os adereços que então, semeias
trazendo o néctar com que me tatuas
e me desenhas somente, à luz da lua.

Enfim, ser-te-ei, como o amor enfeita
Sabendo-me... exatamente como
Tu és.

Cida Valadares

========================= 





Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



 

No ar desde 10/02/2008




 


 | Home  | Menu  | Fale Comigo  | Voltar|


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados

web: www.mis.art.br