Em minhas andanças pela Bíblia, às vezes detenho-me em alguma passagem e me ponho a pensar.
Quando Jesus andou pelo mundo, também Ele escolheu seus amigos, aqueles que supostamente deveriam continuar a pregar sua palavra e seus ensinamentos.
Hoje os reconhecemos como os Apóstolos. Deveriam ser homens mais dotados e outros, muito menos dotados mas que Deus usaria para transformar e mostrar o seu poder.
Em nossas vidas há passagens semelhantes.
Escolhemos amigos, principalmente e aparentemente porque deveriam nos acrescentar e nós acrescentarmos a eles mas, a exemplo de Jesus, nem sempre é assim e jamais será.
Existem Judas em todas as classes e nós, muitas vezes sabemos quando os acolhemos que nos irão trair, que nos irão vender.
Até aqui, nenhuma novidade.
Transcorrida a história de Jesus, de todos os abandonos que sofreu, de todas as rejeições (até os seus o rejeitaram) como muitos dos nossos também o fazem.
 
Pai...por que me abandonaste?
 
Após muita reflexão cheguei à conclusão, não sofrendo nada, é claro, que se compare ao abandono sofrido por Jesus, às perseguições, aos escarros na face, aos açoites , não apenas no corpo mas na alma e no coração.
 
Pai... porque me abandonaste?
 
Para que fôssemos salvos Jesus teve que nascer como homem e viver como homem, lado a lado com os homens .
Quantas vezes, no Getsemani, Jesus se afastava para orar e se integrar mais com o Pai para se fortificar pois Ele sabia de sua hora que chegava.
Seus apóstolos dormiam...Não lhe faziam companhia...Não sabiam ser amigos, não reconheciam em Jesus o Filho de Deus, com exceções, é claro.
 
Pai... por que me abandonaste?
 
Jesus não perguntou naquela hora final  da cruz, quando vazados foram seus pulsos, cravos inseridos em seus pés e Ele sofreu a dor do abandono.
Ele não perguntou:
João por que me abandonaste?
Pedro,  por que me abandonaste?
Cida, por que me abandonaste?
Não...
Ele perguntou!
 
Pai...por que me abandonaste?
 
O Pai até então houvera estado com Ele e Nele, como também o Espírito Santo.
Mas como homem Jesus sofreu o abandono.
Como homem, para morrer naquela cruz o Pai teve que abandoná-lo e ficar ali, bem pertinho dele, esperando que Ele dissesse -
 
Pai...Em tuas mãos eu entrego o meu espírito...e tudo se consumasse
 
Mas doeu porque nem Jesus poderia supor a dor de um abandono, de um abandono do Pai, aquele no qual ele confiava sem limites.
 
Hoje eu entendo, e reflito várias vezes sobre esta passagem.
Se Jesus foi abandonado pelo Pai para que a profecia se cumprisse e nos salvássemos, pobres de nós que choramos  quando amigos nos abandonam e nos fazem sofrer.
Aí, eu finalizo minhas divagações dizendo:
 
Pai, perdoai-nos porque não sabemos o que fazemos.
 
Cida Valadares.

*   *   *   *   *

Tradução por Iraque de Melo

FATHER, WHY HAVE YOU FORSAKEN ME?
by Cida Valadares

When I read the Bible, sometimes I linger over some passage and think about it. When Jesus walked on this planet,
He also chose his friends, those who supposedly ought to have continued preaching his word and his teaching.
Nowadays we recognize them as the Apostles. They ought to have been more intelligent men, and others much
less intellectually qualified but whom God would use in order to transform and show his power.
In our lives there are similar passages. We choose friends mainly and apparently because they should add
something to our lives, and we are supposed to add something to their lives but, like Jesus, this is not always
the way things are, and it will never be.
There are Judas in all classes, and many times, when we open our arms to them, we know they will betray and
sell us.
So far, there is nothing new about it. Elapsed Jesus´s history, of all the abandonments he suffered, of all the
rejections (even his friends rejected him ) in the same way many of our friends reject us.
Father...why have you forsaken me? After thinking a great dela I arrived at the conclusion, of course, not
suffering anything compared to the abandonment suffered by Jesus, nothing compared to the persecutions suffered
by Him, the phlegm on his face, the whipping, not only on the body, but also on his soul and heart.
Father...why have you forsaken me?
Jesus did not ask in that final hour on the cross, when his wrists were nailed to the wood, when his feet were also
nailed to the cross, and He suffered the pain of being forsaken.
He did not ask:
John, why have you abandoned me?
Peter, why have you forsaken me?
Cida, why have you abandoned me?
No...
He asked!
Father...why have you forsaken me? Up to the moment the Father had been with Him and in Him, as well as the
Holy Spirit.
However, as a human being Jesus suffered the abandonment. As a man,in order to die on that cross the Father
had to forsake him and stay there, very close to him, waiting for him to say - Father...into thy hands I commit My
Spirit...and all would be accomplished.
But it hurt, because not even Jesus could suppose the pain of an abandonment, of being forsaken by the Father,
the one he trusted without a doubt.
Nowadays I understand, and many times I think about this passage. If Jesus was abandoned by the Father
to fulfill the prophecy, and therefore to save us, poor creatures, because we cry when friends forsake us and make
us suffer.
So, I end my digression by saying: Father, forgive us because we do not know what we do.





Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos





No ar desde 10/02/2008

 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar  |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024x768

Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados

web: www.mis.art.br