Não!... Não podem ser tormentos os sentimentos
que atordoam meus sonhos juvenis.
Não podem perder a cor que eu tanto amava
Quantos deles, por acaso, mais do que a mim, eu quis.

Com a prata da lua, minha alma...
Quantas vezes matizaste de amor
Que ninguém, por mais magia que fizesse,
conseguiu definir aquela cor.

E porque me alcança esta penumbra inóspita?
Que lança, além os sonhos que eram meus...
Que sapateia , calca e enterra...
Basta que eu cerre os olhos e vagueie.

E os sentimentos te trazem aos meus braços,
Fazem de nós a dança do coração!
Fixam nos meus...teus olhos que eu adoro.
Aprisionam os teus... aos compassos da minha paixão!

13/01/2009

===================




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos




No ar desde 10/02/2008




 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados

web: www.mis.art.br