É nessa dor suave
por mais que tente, não defino
chilrea como ave
e não se encontra no meu ninho

É nessa dor suave
que encontro alento
fala com tal verdade
o que tento esconder do firmamento

É nessa dor suave
que surge o meu pranto
faz-me sentir covarde
impotente diante do sentir-te tanto

É nessa dor suave
que sobrevivi por mais um dia
diante do inexorável
escrevendo a minha poesia

É por essa dor suave
que permanecerei calada
a superar o doído entrave
transformando o tudo em nada

****
SP. 23.06.09

 

====================




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



 

No ar desde 10/02/2008




 


 | Home  | Menu  | Fale Comigo | Voltar |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600

Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados

web: www.mis.art.br