As ilusões se foram amarrotadas,
como se fossem restos resistidos
de pétalas de rosas ressecadas
ardendo amores idos e vividos...

Das cores do desejo desbotadas,
sumiram com os sinais dos seus sentidos,
deixando as fantasias desertadas
das quimeras e sonhos pretendidos.

As ilusões se foram. Nem sequer
semearam os sonetos que eu fazia
a quem jamais me quis, a quem me quer.

Foram-se as ilusões... Um certo dia,
sumiram no sorriso da mulher
que me punha o pendor de ser poesia...

 

 


 

 

 JPessoa/PB
03.05.2014
oklima 
 

 


 

Sou somente um escriba

que ouve a voz do vento

e versa versos de amor...

 


 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados