Almas que se amam, se doam
Que se entrelaçam parecendo só uma
Que possuem afinidades tantas
Capazes de despertar o mais sublime
Dos sentimentos, das emoções
Das sensações, até onde o ser é capaz
De amar antes que se torne outro
Almas que nem separadas se separam
E por mais distantes estão sempre juntas
Almas que não percebem mais o tempo
E se completam no espaço de si mesma
Almas completas, repletas e secretas
Capazes de dizer tudo em silêncio
Almas feitas para amar: um ao outro
Alma minha e alma tua, alma nossa
Alma vossa, alma que ama a alma...

 





Se o sentido da alma é amar
Se o sentido do amor é doar
Quando se descobrem...quase iguais
As almas ...
Se buscam e se necessitam
Mesmo percebendo
Que há um silêncio irrompido
Uma distância sem rumo
Como um relógio sem prumo
Que deteve as horas mas
não - o tempo.
O tempo passou!
E as almas sentem o peso
Desta saudade cruel
Deste destino infiel
Desta realidade, nua e crua
Do ontem, do hoje, do agora...
Por isto a minha alma
Chora...
Sentindo saudades da tua

 

 

 



Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados