Eu gritarei, com os mais ardentes sussurros,

Que tenho tentado te esquecer, embora não pareça.

Que meu sorriso, tentando disfarçar a minha dor

Se amarela, à simples lembrança, do teu amor.

Eu chorarei, gritando sufocados, ais.

lágrima de sangue tinto, qual neon.

inalarei como alucinógenos , os florais

Que tingirão os meus sorrisos, de batom.

Enquanto isto, abraçada aos desalentos,

Seguirei a estrada que aos meus olhos se desenha.

Tentando alegrar os meus tormentos,

Eis que me atiro aos desvios de engano...

Quando, calada é que sinto, mais ainda,

Que existe em mim um grito mais que insano

Que eu grito, enlouquecidamente, aos quatro ventos...

EU TE AMO!

Tentando apenas afugentar meus ais..

Ao que o eco, também responde,

aos quatro ventos

Eu te amo...

Em enlouquecidos vendavais.

 

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados