Vou largando a roupagem da luxúria,
renunciando aos bens sem importância,
enrugando a pelugem mais espúria
...Fortalecendo na alma a transumância.

 

Fico assim despojado do mais fútil,
pobre quanto baste e rico na essência,
por ter sido agraciado e algo útil:
um aprendiz de Deus em permanência.

 

Foi uma aprendizagem assaz suada,
muitas horas de estudo meditadas,
atropelos sem jeito, voz cansada!

 

Mas ao chegar a hora me levai,
vassalo numa corte deificada,
filho feliz que morre por seu pai.

 

 

30.11.2004

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados