Nos cabelos um chapéu, até insinuava um véu,
Para esconder meu olhar.
Sentindo-me a alma traída,
Olhei-me bem, ao espelho
E usando um batom vermelho
Sentindo-me bem vestida,
Dei aquela meia volta atrevida
E parti, para te encontrar.

Não foi difícil o roteiro
Parei no bar, o primeiro,
e tu, já estavas lá...
E em meio a melodias,
Em tuas mãos escondias
o medo de me encontrar.

A goles, tantos, sorvias
como ébrio já te sentias
e mal podias falar.
Foi quando senti teu olhar!

Olhou-me, assim...por inteira
Amargaste a desventura
Sentindo na boca a secura
De nem um beijo provar.

Teus olhos, então, percorreram
minhas voltas no salão.
Dançando para outros olhares
continuar a encantar.
E vez por outra, indo ao espelho
Retocar, em minha boca,
aquele batom vermelho!
Que gostavas tanto de me ver usar...
Aquele batom vermelho que, com certeza,
Outras bocas irão beijar!

**********************

Belo Horizonte, 02/08/09




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008

 


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados