O teto balança e minha cabeça gira.
Eu?... bebo mais deste frenesi,
querendo a imagem que a mim não mira,
Mas...me embebeda , neste anseio de estar em ti.

E minhas veias dilatam a saudade,
Que sorvem de meu peito tresloucados sonhos...
Ignorando os vultos que só falsidade
murmuram aos meus ouvidos...em ecos risonhos.

E danço minhas dores, mesmo neste luto
Que pranteia liberdade para esta osmose
Pois, em querer apenas ser feliz o meu tributo...
Pago... Hei de paixão-amor , morrer... numa overdose.

************

30/08/2009
02:42h

************

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008

 


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados