Vendo-te assim, tão matreiro,
cantando o ano inteiro,
para a todos alegrar.
Pulando de galho em galho,
nada te desatina, nem desafina o teu cantar.
Sei que teu canto é um trino,
que te faz assim, tão menino,
voando, prá lá e pra cá.

Mas passarinho menino...
Um dia há, no presente,
que solidão é o que sentes
E no teu triste cantar...
Procuras tua menina,
A passarinha com quem sonhas
Em tua casa morar.

E ai, meus amiguinhos.
A natureza que é linda
Faz junto com os passarinhos,
uma casinha e um ninho,
pro passarinho casar.

E a passarinha, bem gordinha
trata logo de botar os ovinhos
Todos tão coloridinhos...
E fica, no ninho a chocar.
E um dia, então, que surpreza!
Nascem com toda beleza
Passarinhos prá cantar.
Lembrando que a vida é uma festa
Nos jardins e nas florestas.
E que as aves nos sabem amar.

Lembrem-se pois, meus amiguinhos,
Que as aves são os carinhos de
Deus a nos olhar.
Não prendam os passarinhos,
deixe-os sempre nos ninhos,
e deixe-os também voar.
Eles são feito carinhos
Que Deus, com muito jeitinho...
Descansa em nosso olhar.

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008

 


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados