Chiquita foi , da ninhada de mamãe Pedrita
A pintinha mais galante,
Que o galinheiro conheceu.
Sapeca e atrevida,
soube levar a vida
de um jeito que é todo seu.

Qualquer roupa?
Quem diria, a Chiquita não vestia.
Se assanhava e resistia, até
a todos convencer.
Com sua plumagem amarela,
Chiquita era muito bela,
a verdade é para se dizer.

Um dia a nossa pintinha
aprontou um caso sério.
Escutem o que vou dizer.
Com o seu chapéu de fita
Que linda ficou a chiquita.
Saiu, para passear.

Mas...eu nunca vi caso igual
Em nenhum outro galinheiro
Foi assunto para o ano inteiro.
Chiquita soube da festa que ia ter,
Que seria, bem longe...
Noutro terreiro.

Jogos, dança , coisas assim.
Farelos, minhoquinhas e
um punhado de balão.
Mas o que a Chiquita quis
Foi a pista de patinação.

Nem se importou com o perigo,
se podia cair, ou não,
Chiquita saiu patinando..
É isto mesmo! É o que digo.
E o galo esporeava.
De tanto que ele gostava.
Querendo armar confusão.

Mas mamãe Pedrita, sentiu falta
de sua filhinha assanhada.
Foi com todo o galinheiro
Ciscar no outro terreiro

Chegaram bem no momento
de toda premiação
Adivinhem....amiguinhos
quem ganhou o prêmio na pista de patinação?
Ela, sim, a nossa pintinha
Que com a bronca, não queria nada
Afinal, foi vencedora
Estava maravilhada.

Amiguinhos, não façam isto
Não saiam sem avisar
Vocês não são a Chiquita
Que até sabe patinar.

Mesmo se for pertinho
só até ali...no portão
Avisem a mamãezinha
que os ama de paixão.

Cida Valadares

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008

 


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados