Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.” Mt 25,13

 

 

 

 

 

 

 

Jesus está às portas

É tempo de consagração

Que todo o joelho se dobre

Que toda a língua confesse

É tempo de conversão

Dez moças com lamparinas

Cinco se desviaram

E o óleo não levaram

Porém, no meio da noite

Chega o noivo de surpresa

E não tiveram defesa

Esperar Jesus

É viver diferente

É abominar o pecado

Ter uma vida decente

Muitos, como as cinco virgens

Vão à igreja

Mas usam um escudo...uma trava

E não assimilam

A divina Palavra

Estão presentes de corpo

E não de alma e coração

Deixa, Senhor

Minha lâmpada preparar

É privilégio servir-te

Não deixes meu óleo acabar

Que o arrependimento

Seja minha prioridade

Pois a suprema felicidade

Será encontrar-te...

Na eternidade...

 

 

 

 

Com bases na Parábola das

dez virgens

Mateus 25,1-13

 

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados