Quando o cabelo cai e irremediáveis olhos se turvam,
Quando coxas enfraquecem-se e o tempo pele enruga,

O coração torna-se maior, mole e mais frágil a cada minuto.

Então, morada recordação da Mãe se levanta!

 

Assim, querida mulher sofrida, ao modo das raízes

Das frondosas árvores fincadas ao chão,
Ramas, folhas e flores estendidas aos céus
E nuvens abertas tomam o sol e as montanhas.

 

Todos os oceanos e o universo não descansam.
Nada mais ofusca as  belezas ofertadas por Jesus
Ao sangrento, mas florido e dedicado coração
Da inesquecível e única mãe, Cida Valadares!

 

 

 

 

Vera Pessoa
São Paulo, 01.II.2014
09h38m

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008





Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados