Existem beijos, beijos... e beijos!

Os mais recentes ainda me lembro.

Trocados entre bocas ávidas de desejos

Não têm muito, apenas algum tempo.

 

Porém, os mais importantes, de outrora,

Esses jamais serão por mim olvidados!

Todos os dias, naquela mesma hora,

Retornando à casa, eram-me osculados.

 

Ainda garoto, chegando do colégio,

À minha espera na porta ela estava.

Sempre usufruía deste sortilégio,

Os beijos que minha mãe me dava.

 

Hoje, de mim, está bem afastada.

Mas sei que, no céu, em lá chegando,

Estará ela na porta me esperando

Para dá-los quando de minha chegada.

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados