1 - Cida Valadares
2 - Araí Santos ( Convidada Especial)
3- Dioni Fernandes Virtuoso
4 - Hamilton Brito 
5 - Cibele Carvalho
6- Luiz Poeta
7 - Eliana Ellinger
8 - Anna Peralva
9- Efigênia Coutinho ( Convidada Especial
10 - Marilda da Conceição
11 - Clara da Costa
12 - Marcial Salaverry
13 - Nídia Vargas Potsch
14 - Maria Tomásia
15 - Adélia Mateus
16 - Augusta BS.
17 - Jorge Humberto
18 -  Rose Arouck
19 - Faffi - Silvia Giovatto.
20 - Rita Rocha

Prece aos Santos.
Cida Valadares
 
1
Meu santinho, Santantonho
Me ajuda marido arrumá
Priciso casá bem  ligero
Num guento mais esperá.
 
São Juão,  santo festeiro
Também pode me ajudá
Pode sê moço do Crube
Lá nóis gosta de festá.
 
Causo oceis num me dé bola
E ajeitá meu coração
Juro que oceis  tudo acaba
Na panela de feijão.
 
2
Prece Aos Santos
Araí Santos
 
Oh! meu querido Santo Antonio,
Estou aqui de joelho,
E vou ficar até a madrugada,
Cansei de jogar no clube das solteiras,
Quero passar pro time das casadas.
 
Já estou juntando uns trocados,
Pra fazer um grande foguetório,
Quero ver todo mundo bem feliz,
Festejando o dia de meu casório.
Amém.
 
 

3

Vai Tê Casóriu, Sô!

Cumadi Di Virtuoso do Sur.

Tantu qui  pedi um matrimônhu,
óia só u qui mi arrumô u Santotonhu!
Um cara cabra da pesti,
qui num vali a cirôla qui vesti,
má ganhô u meu amô!
Memu cum u côru juradu,
vévi surrinu, u danadu!
Tem um surrisu mai lindu,
causidiquê vévi muitchu feliz cumigu,
intonci, arresorvemu si casá.
Adispois, fiz muitcha preci
causidiquê logu, logu a buchada já pareci
i na vizinhança, vai dá u qui falá.
Intonci, vamu pará de abestagi,
i vamu chamá logu u vigáriu,
prá realizá u casóriu,
antis que paressa a prima Benta,
aquela qui tem fogu nas venta
 i tudu quié noivu qué robá...
I num podi atrazá a festança
qui vai sê nu arraiá du cumpadi xicu,
qui tumém é nossu cunvidadu,
enviô di presenti um lindu pinicu.
Agora vamu pará de converssê,
queru memu é butá pra fervê....
Inté lá!
Num farte, visse?

4  
Oração de caboclo
Hamilton Brito
 
Vixi minha nossa sinhora
Óia só o diabo no terço.
Vim aqui foi pra  rezá
Ou pra pecado, cometê?
Uai, que possu fazê
Se cego eu num sô...
Tem gente que se acha mesmo
E num tem compostura no vestir.
Onde já se viu minha santa
Mas que diabo de muié do cão!
Minina, num faz issu não
Num vê que já sou pecador
E você que mais me danar?
Abaixa o diabo da saia
Suspende a praga do decote
E deixa de fazer tanto fricote
Quando  andar não sacode a bunda
Pois o pensamento mau  abunda
Justo na hora da oração.
Tem pena desse pobre coitado
Que na vida já ta ralado
E precisa segurá um lugar no céu.
 
5
SANTOS JUNINOS
Cibele Carvalho
 
Santos deste mês festivo,
Antônio, Pedro e João
libertem o povo cativo
apontem-lhe a direção.

Façam-no prosseguir
sem jamais esmorecer
digam-lhe: pode ir,
não desista de viver!
 
Aos que estão desesperados,
socorram e ofereçam a mão;
estendam seus mantos sagrados,
deem-lhes sua proteção.
 
6
CASAMENTERA MODERNINHA
 
Luiz Poeta
Luiz Gilberto de Barros – às 20 h e  22 min do dia 6 de setembro de 2013 do Rio de Janeiro
 
 
Ocê sabe, Santantonhu, ieu tô sozinha,
Fiz macumba, oração i simpatia,
Rezei têrçu, fiz inté uma noveninha
Qui insinaru, rezei treis avi maria...
 
 Já mi oiei nu espeio i sei qui dô pru gastu
Nhô Bastião já mi pego na fazendinha...
Cum Hhô Zé já  mi deitei inté num pastu
Mas.. diachu ! nunca fui uma santinha...
 
Toda veis qui acaba o atu, os cabôcu
Vão simbora i quandu falu im casamentu,
Si discurpam, i uns bobão inda faiz pôcu
Um inté saiu correnu...  num jumentu !
 
Pinto us zóio, aparo inté as sombrancêia
Tiru os buço, passo inté carvãu nus dente,
Ah, meu santu, casu inté numa cadeia,
Purqui sei, num sô ninhuma inocenti .
 
 Tresantonti, armeitei inté us sêiu
I na bunda coloquei uns inchimentu,
Qual u quê... teve um matutu qui só vêiu
Mi aparpá, dispois si foi.. . qui cão grasnentu !
 
 Num sô virgi, sô di tôru, será qui eis
Qué casá cuma mulé di ôtru sigu ?
Ô será qui u meu horóscu é chinêis
I mi ingana... Deus Du céu !... é só cumigu ?
 
Nôtru di pus uns pircin nu imbigu,
Tatuei inté bem lá, meu inderêçu
Neim oiáru.. i eu tô tão a  pirigu
Qui aceitu  inté tranzá pelus avêssu.
 
 Tudu issu, meu santu casamentêru
Só prá tê uma terrinha prá vivê
Cum um hômi di verdadi u dia intêru
Prá bejá, sei lá.. tranzá... pra mintretê...
 
I adispôs, quandu u  dia crariá,
Acordá  u disgramadu, peladinha
I dizê: - Oi, maridão... vamus amá
Que tar dá, comu us di lá, uma rapidinha ?
 
 Casamentu é coisa séria e i si eu casá,
Quero ter a merma vida das madama
Que di dia vai pu shópi pra gastá
I di noite... adivinha ? Vô pra cama !

Santantonhu, mas si nada adiantá,
Vô virá casamentêra moderninha
Sabe como ? é só eu ingravidá
I pidi DNA da bebebezinha !
 

7
Prece aos Santos
Eliana ( Shir)
 
Já rezei tantas veiz
prumodi te um maridu.
Santantonio num miscuta,
percisa é limpá uzuvidu!
Tumém roguei pru Sanjão,
pru Sanpedru cabreru, 
sortei até uns rojão
prá briá mais u luá...
Ó qui amarrei tod'us treis
lá num pé di manacá
e disse preles me atende
qui só dispois vo sortá !
 
8
 
Vamus fazê festa!
Anna Peralva
 
Vô brindanu a vida
gradecenu prus santinhus
a famía linda, u zamô di sempri,
us amigus du coração.
Pra eu num pido mais nada,
mais qui Santotôniu
acuda toda a mueirada incaiada
e us zomis tumém,
caisdiquê us causus qui oiçu
tão di arrepiá a peli dieu.
Tem muié agarranu muié
i zomi carcanu outru zomi,
us casadus tão nus bar da vida
i us sorteros, uai cadê oceis?
Tudo di ponta cabeça 
 nu sór bem crarinho!
Tenhu dó da gurizada
nesti mundão sem portera
cum tudu di cabeça pra baixu!
Ficu improranu pru Jesus Cristinhu
 num ponhá mais lenha na fuguera,
qui nóis fiqui bem longi du tinhosu
nem qui a reza seja nu caroçu di miu.
Qui a ligria venha ponhá em nóis
muimta cria, pramodi ispantá sardidi
i zoiu grandi, casdiquê nóis qué
fazê festa i comerará cum amigus
du peitu todus us dias.
Tristeza num interessa!
 
Cumadimi perarva
 
9
PRECE CAIPIRA
Efigênia Coutinho
 
É Noite de São João!
Lumiano a iscuridão;
Eu vô fala em ligero
Bondoso Santo casamentero
 
Dentro do peito o coração,
Tem as bandêra da inluzão;
I faz prece de Santontoinho
Bom casamentero da igreja
 
Eu rezo pra ocê mi arruma
Quáge sempre, todo dia,
Nesta Festa de Alegria:
 
Bendo sonho e prazê! Um
parceiro deste mundo, iscutá
do meu peito ladainha !

10
Pidido a Santo Antonho
 
  Marilda Conceição
 
 
Vô pidi pra Santo Antonho
qui mi traga um amô
pra cum ele realiza meu sonho.
Num pricisa sê bunito,
mais tem qui sê sincero.
Oia Santo Antonho,
tô cansada de sê inganada.
É tanta mintira que fico até revortada.
E essa tar de nostargia
dá uma tristeza danada,
tira minha aligria
e a solidão é marvada.
Oh! Meu Santo Antonho,
num mi dexa sozinha não,
traga logo meu amô
pra juntinhu du meu coração.
Si ocê  atendé meu pidido,
vô fazê um bunito arraiá
vô pulá fuguera, sortá buscapé,
infeitá o cér com balão,
dançá inté o dia raiá
pra teu dia comemorá.
 


11
 
VEM MORENU
Clara da Costa
 
Ai môdeuduxéu...
u moreno aceitô meu cunvite
ieu fiquei toda facêra
pruque vô dançá mai ele
nesse forró...
meu coração bateu ligero
sentindo o bêjo dele
no meu cabelo i no meu cangote...
i nesse xamêgo
eli me agarrô nus seus braçus
bejô minha boca...
miacarinhô nu corpo
...i éra tanto chamegu
qui mi paixonei poreli...
morenu...
queru ficá cocê
inté u dia clariá...
adispois mi caso cocê
numti largu máis...
 

 
 
12
PRUQUÊ CHAMÁ SANTANTONHO?
Marcial Salaverry
 
Aravejasó, pruquê chamá u tar?
Pramodi si arranjá,
careci chamá ele não...
Táqui o cabôco cocê qué,
i qui chama cum tanta fé...
O cabôco vem avisá
qui num careci si apressá,
nem si disisperá...
Vai distribui senha,
pras assanhada qui quisé,
modi u amô cabôco prová...
Manum podi si disisperá,
pruquê tudas vão te veis,
ma uma di cada veis...
Caboco podi sê gostoso,
mai num é guloso...
Amô cabôco, é maimiódibão,
bão mezzzz, di verdadi...
num tem iguar prá distribui felicidadi...
Póisquecê o tar do Santatonho,
causidique ele num entendi nada di amô...
 
Marcial Salaverry
 
13
 
Santantoninho Louvado!
Nídia Vargas Potsch
 
Meu Santinho casamenteiro
Num si insqueça di eu
Tô aqui priocupada, aguardano
seu chamado pra mode mi casá.
 
Acontece que o tempo passa
e nada de aparecê um moço baum
Trabaiadô e simpátiqui.
Não aprercisa sê bunito nem rico, ma
que cunsiga prová pro meu coração
Qu'ele é u homi da minha Vida.
 
@Mensageir@
Rio, Maio/2014
 
14
 
PAPINHO COM SANTO ANTONIO
Maria Tomasia
 
Meu querido Santantonho,
Priciso bater um papinho cuntigo.
Oia, casá sempre foi o meu sonho,
mas um maridu num cunsigo.
 
Pru que oh meu santinho querido?
Será qui eu sou muito feia
ou fico pidindo um homi bem-nascido?
Sei não, eu já tô ficano cheia.
 
Meus jueios tão tudo esfolado
de tanto me ajueiar pra rezá.
Tenho te pidido e muito suplicado.
Já tô pensando que tenho azá.
 

15
 
ARRAIÁ  DO AMOR
 
Adelia Mateus

No arraiá do amor,
ciranda , cirandinha...
Em volta da fogueira
vou reza pra Santo Antonio
arruma um novo amor.
 
 
As barracas já estão prontas.
As bandeirinhas e a fogueira também.
 Agora só falta você pra ser o meu par
na quadrilha nessa festa Junina!
 
16
 

To embuchada
 Augusta Búrigo
 
Santantonhu meu amigo
 fui bulinada  , me entreguei
as beatas falam que foi castigo
eu bem sei que eu pequei.
 
 
Pedi meu Jisuis Cristim
 pra cuidar deu com todo carinho
 Mas apareceu  Nocêncio lindim
 Adeus pureza...
  no paiol  no escurinho
 
Hoje so moça desonrada
fui apressada e assanhada
 Não posso nem tomá quentão
Nocêncio desgraçado...
penso em ti, me dá tesão.
17
 
BAILANDO
 
Jorge Humberto
 
 
Ai, de mim, que num sei destas cosas.
 
Eu vim da cidade grande:
 
Lá a gente não escreve, faz umas louças,
 
Azuis purpúricos, e braços de gigante.
 

Mas uma cosa eu sei, quer na cidade
 
Quer na aldeia, dançar, meninos e meninas,
todos pulam na mesma verticalidade,
 
Peças de fruta, ou moças, não calem as estimas!
 
 
E indo no corrupio - uns e outros e muitos,
 
Os pares se acertam , e as músicas é um beija, beija.
 
É transversal que assim seja – fortuitos
 
Só os beijos roubados, atrás da porta da igreja.
 
(18/05/14)
18
Tartamudeando Com Tu
_ Rose Arouck -
 
Num se avexe não,
tamo tudo no mesmo barquim
e ele navega carminho carminho.
Venha logo matá o bichim qui me roeu,
tá cismano o que? vorta pra ieu...
Chega logo qui ieu tô bem aqui...
Se for amontado
qui seja um são cavalim.
Se for avoado
que seja um avinhão
daqueles mió de bão.
se for de trem...
acomode bem seu trem
pra o saculejo num estragá, mo bem.
se não vai gemer
no tempo qui correr
nos trilhos do bem querê.
Ta tudo muito sujeito
a ficá mais que pelfeito.
Danou-se!
 Falei direito?
 

 
19

Faffi
(Silvia Giovatto)
 
Ah, meu Santantonho,
u-sinhô bem qui pudia miscuitá,
i-um maridu baum mi arrumá.
Meus jueius já taum inté virmeio,
te tantu eu jueiá amor de rezá.
 
Eu num quiria mesmu é morrê sortera,
 dizem inté, qui dá azar.
Já apelei tumbém pra Sanjuão e Sanpedru,
mas eles nem mi iscutaram direito,
achu que taum querendo é mi castigá.
 
Ah, meu santinhu, já tenho inté
vistido de noiva, qui ganhei da Ritinha,
dispois di ela sí casá.
Sirviu im mim direitinhu,
mais, si demorá, ele vai amarelá.
 
Usinhô é u-meu santinho priferido,
num creditu que num vai mi iscuitá.
Tô aqui, prometendu in rede nacionar,
di faze um artarzinho na casa qui vô morá,
 só pro sinho ficá...isto é, si eu mi casá!

20

 
Festa de  São João!
Rita Rocha
 
Quanta saudade eu tenho
da vida simples de então
a recordar aqui  venho
os  Festejos de São João!
 
 Era quermesse animada
tinha quadrilha e quentão
banderinhas coloridas
tudo com  animação!
 
 No céu brilhavam  fogos
dando  à  sinalização
que a festança  era boa
lá nas bandas do Sertão.
 
 O sanfoneiro era aquele
que mantinha  animação
o povo dançava quadrilha
movimentando o  salão...
 
 A fogueira já  queimada
não apaga  recordação
muita lembrança inda guardo
dentro do meu coração!

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados