Sinto uma saudade imensa, manchando

como se fosse nódoa... as páginas da minha vida.

Saudade brejeira de quando você chegava,

dizendo somente, oi amor...

Depois volto, porque já vou!

 

Das noites em que assistimos o nascer

de tantos dias, vendo o sol aparecer.

Dos dias virando tardes,

sob o manto do anoitecer.

 

Hoje é tudo tão diferente,

sinto uma dor tão pungente...

 E  que dói em mim, somente.

Sinto-me quase morrer...

Porque não tenho o direito

Que eu gostaria de ter...

 

Ah! Como eu gostaria, de aliviar minha aflição.

E, em paz, adormecer.

Eu... eu queria muito saber...

Como anda a sua vida,

E como está você!

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados