Estrelas que eram meu norte na imensidão,

foram se apagando entre abatidas flores

E o frio da nudez de meus amores

Fez-me tocar o mundo com a minha mão.

 

Pude sentir a maciez da pétala em minha tez

e o floco de neve cintilante, como brilhante.

E, com a mais delicada lucidez,

Meu turbilhão de sonhos, também, levei adiante.

 

As mais altas montanhas, bem no cume,

Saltitante, entre as árvores, escalei.

Pude fitar os olhos do vaga-lume.

E, nas asas de um anjo, descansei.

 

Ah! sinistra hora e este sedutor martírio,

Que me leva a versejar a solidão.

De querer , eternamente, viver este delírio

E ter o mundo inteiro, só para mim, em minha mão.

 

 

Belo Horizonte, 02/01/10

01:40h

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados