Assim como as notas vão formando as melodias,

para compor a mais bela canção de amor...

Meus devaneios invadem a imensidão, viajam em ventanias,

Procurando aquela estrela guia que percebo

 logo adiante, bem ali...
À espera de que eu a encontre, recolha, e entregue

 com tudo de melhor que eu tenha... 

 Somente para ti.

 

Assim como a chuva começa serena e vai se avolumando,

para compor a tempestade entre raios e trovoadas.

Meus devaneios respingam, se encharcam e naufragam,

procurando no mar de minha alma encontrar,

entre todos os versos que fiz e entre,

também, todos que li, aqueles que eu entregaria...

Somente para ti.

 

Assim como o futuro se aproxima entre sorrisos e olhares,

para compor uma existência calma e feliz.

Meus devaneios ganham asas, percorrem mares e 

cidades até que pousam num voo de anjo...

E, entre abraços e beijos, lembranças e saudades,

Façam gerar e nascer toda a felicidade que

não temi em procurar e encontrar...

Somente para ti.

 

São devaneios de dor... estilhaços de sofrimento.

São devaneios da alma... saudades e lamento.

São devaneios da vida... da vida que eu quero compor...

São devaneios, são sonhos...

Prenúncios de um grande de Amor!

 

 

 

13/07/2009

17:23h

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados