Meu olhos, querido meu, cismaram de te buscar,

de querer-te, perto a mim,

De te querer encontrar.

Voaram rumo ao espaço,

sequer sentiram cansaço...

Sequer perceberam as estrelas,

tão de perto... cintilar!

 

Deslumbrados, em meio às nuvens

E ao clarão do luar.

Na imensidão do infinito...

Não viram a noite passar,

...e o dia chegar bonito.

 

Mas de querer-te, minha alma,

meu coração, meu amor!

Feridos nesta distância,

Embalados na canção

Que todas notas solfejou...

 

Explodiram-se, em mil cores

Fragmentaram os amores

Como poeira ao vento,

Que alcança o firmamento,

 

e foram espalhando as flores

Que nos teus olhos eu vi

E debulhando em dores

Esta distância de ti!

 

 

 

BH, 07/08/09

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados