Toda nua...

Sonhei entregar-me, um dia.

Na praça, na rua... nos bosques,

como nas fantasias...

De quem quer pleno e, totalmente,

O amor viver.

 

Quero, libertar a mulher que trago

em mim

Despir teu corpo com meus beijos

Falando-te de  todos os meu desejos,

E de amar-te... mais e mais...

Sem mais ensejos.

 

Sem timidez quero, ainda,

Desfrutar sem nexo, do sexo

Que te provoques

a que me guies

A todos e incontestáveis prazeres.

 

Pode. Pode fazer de  mim, a tua fantasia

Pode estuprar-me,

Rolar-me em qualquer chão

De jardim, do quarto,

Sempre com mais e mais paixão!

 

Agarra-me, pelos cabelos,

Sele meu lombo

E assim, cavalgue o meu corpo inteiro.

Eu te darei prazeres inesquecíveis

Múltiplos, silentes ou atordoantes

Te darei, sim, tudo muito mais que antes.

E, cada vez, querido

Te darei, ainda,

A certeza de que, ao voltares

Sempre serei tua...

TUA INTEIRA MULHER

DESCOBERTA

E NUA!

 

 

 

   

 

 

 

 

 

Tomada de paixão cega,

desvairada e alucinante,

dás-te do amor à refrega

sem mesmo um "ai" vacilante!

 

Ah... quanto adoro essa entrega

que é louca, ousada e bacante,

pois teu amor nada nega

a este libertino amante!

 

Ai, que delírios fogosos

quando me incitas a gozos

que o senso moral maldiz...

 

Vem comigo a novas bodas

e esquece, uma vez por todas,

que existe esposa infeliz!

 

 

   

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados