O sol te convidou, querida, aquele dia,
Para que o sentisses todo em tua vida...
Sofrendo, sem razão, a dor da despedida,
Temendo te deixar á sós, desprotegida.

Mas com o chegar da noite em nada te abateste,
Nem te perdeste em meio as trevas que chegaram,
Embora muitas coisas a alma te imolaram,
Com brilho e galhardia a escuridão venceste.

Se o sol soubesse o quanto és grande,
o quanto és forte,
Jamais, se afligiria pela tua sorte,
E nem supunha ver-te em meio da tristeza.

Porque se és pequena, no tamanho, creias:
Que em tua alma és grande, e tudo tu clareias,
Por seres uma Estrela de maior grandeza.

 

 

E-mail do Autor: safre@uol.com.br



Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados