Choram as palavras, rimas e rítmos
Quando o poeta morre.

Chora a lua, a aurora sofre
Quando o poeta parte.

Mas não parte inteiro...
Tão pouco parte ligeiro
O poeta amado!

Vivendo através de seus versos
Que compactuam com nossos sonhos
esperanças e alegrias.

Tu ficarás, poeta, amando
Através de nós onde teu nome ressoa
Ecoa, para sempre, a cada bater de nossos corações.

Tu ficarás Fernando...

Fernando Pessoa!



01/02/08
16:55h
Belo Horizonte.
 


 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |



Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados