HESITAÇÃO

Fernando Cunha Lima

 

Vou pondo dúvidas se na verdade existo,
Correndo atrás deste tempo que me passa,
Que enche a face de rugas e as amassa,
Indo buscar, pra me afirmar, caminho nisto.

Duvido deste viver mas assim insisto,
Preso por dentro desta minha argamassa,
Que se perde em pleno tempo que ultrapassa,
Mas mesmo assim, nesta dúvida eu persisto.

É dádiva esta dúvida que me segue,
Um certo tipo de suspeita não se negue,
Ou não se extinga e nem cause diferença.

Num pensamento até talvez cartesiano,
Desconfiança que me vem por sob o pano,
Num ceticismo ou total falta de crença.

 

Fernando Cunha Lima

JPessoa/PB

 06-04-14. 
 

Sem sonhos, ninguém.
Com um sonho, homem.
Com mil sonhos, poeta.
Fernando P. Cunha lima.

 

 

 

 

 

DESCRENÇAS

 Odir Milanez


Falta total de crença nesse amor
que me jurava juras de verdade
vertidas ao sem fim, à eternidade,
mas que se finda fútil, sem valor.

Porém, pobre de mágoa e de rancor,
sequer sequestra restos de saudade.
O que não foi nem fez felicidade
só se presta ao desar, por onde for.

Descrendo em toda crença cativante
partida dos porões passionais,
creio apenas no amor de amado instante.

E se sentir no peito alguns sinais
de amor verdade avindo das amantes,
eu me direi, contrito: “nunca mais!”
 

 


Odir Milanez
JPessoa/PB
08.04.2014
oklima

 


(Seguindo os passos do poeta primo-irmão Fernando Cunha Lima)

Sou somente um escriba

que escuta a voz do vento

e versa versos de amor...

 

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados