Não havia sons 

Naquela tarde sombria, 

Apenas o silêncio delegava-se

Em seus tons mais altos, 

Nos seus gritos mais ensurdecedores, 

Pois o filho do Homem os céus iluminava!

 

Imortal aos olhos da luz, 

Mortal ao olhar do âmago sem fé 

Entregou-se longe do anonimato, 

Não hesitou quando das mãos 

Foram lavadas, não negou o amor!

 

Nem a canção da chuva se opôs 

Ao momento de um povo em desamor, 

De um povo que renunciou a lágrima 

Dando a razão a razão sem pudor ou paixão,

Apenas palavras jogadas ao chão!

 

Gloria ao Pai 

Ao Espírito Santo de todos nós!

 

Com consciência e sabedoria, 

Somos uma metade de amor,

De um amor que doou-se por inteiro, 

Para voltar do calvário e nos doar 

A outra metade do nosso amor!

 

 

 

 

18/04/2014

Poro Alegre - RS

 

Tela: AF00243 - Auber Fiori

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados