Todo dia era assim:

a gente não queria,

mas tinha que ir embora!

Então a gente se levantava da grama,

fechava o zíper,

batia a poeira do jeans

e entrava pra aula,

sempre em cima da hora!

 

 

 

 

 

 

 

Todo dia, quem dera que ainda fosse,
apenas assim!
Hoje, se senta em bares,
Desarmoniza os lares,
Pelo "encanto" de levantar a poeira..
Ocupando um lugar na cadeira
do carro...
E, fechando, ou, não o zíper,
Nossa mocidade, invade a cidade,
E na calada da noite,
sob as rodas de um açoite...
Atropela e mata vidas inocentes
Deixando órfã a cidade
Que grita por liberdade
Chorando a dor dos ausentes.

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados