Maior pesar não há, nem sofrimento
Que se compare a perda de um infante
Que de nós é pedaço unificante.
- Pra tanta dor não há um lenimento!

Esse arrancar de vida é tão injusto
Que a raiva se mistura ao padecer
E deita de uma vez tudo a perder
Aos que a fé sustentou a muito custo

Ver esvair-se precoce tanto amor

Ceifado pela foice capital
É quase perecer nesse estertor

É perder da razão o essencial
Deixar que alma vogue nesse horror
Vazia de sentido corporal

Bogotá, Colômbia
Novembro de 2009



Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos


No ar desde 30/07/2008


 


| Home | Menu | Fale Comigo| Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 x 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados