Minhas pupilas dilatam...
Meus batimentos aceleram,
meu coração fica contrito...
E minha alma em fusão!
Minha voz, aos poucos se cala
Cerro meus olhos, então!

A música suave transporta...
Voo além de qualquer porta.
E, aos poucos, retiro o véu.
Quando percebo que medito
E me encontro... rumo ao céu.

Meus olhos, aos poucos, se inundam
De uma luz divinal
Que me envolve o corpo, qual auréola
Representando o sinal...
De que preciso e procuro,
Quando estou longe de mim...

Só há um caminho seguro
Presente nos dias meus
Meu caminho até mim
É o caminho até Deus!

12 de março de 2009




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos


No ar desde 30/07/2008


 


| Home | Menu | Fale Comigo| Voltar |




Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 x 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados