Minha Homenagem à Andrea Maia

 

 

 

 

Assim como esta cantiga

dolente em minha audição

Tu, Dea, é amiga

Dileta de meu coração.

 

Emerges de um mar de encanto

Desnuda, que importa, e ao léu...

Fazes da natureza

Como móbiles do céu.

 

Tu és a lua de minguante à cheia

Neste infinito que acordas

O sangue da tua veia

É toda arte que bordas.

 

Então, em tom de euforia,

Antes que a noite caia

O céu em móbiles se alumia

Prá, junto a mim, 

 aplaudir Dea Maia.

 

 

Beijos, querida.

Amo você.

Seja muitooooooooooo feliz.

 Feliz aniversárioooooo,

Sua Dama.

B.Hte - 26/05/2013

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservado