Mulher mãe aceita de mim o meu obrigado num abraço
Podes ser rosa, vermelha, branca, preta, ou amarela
Foste tu mãe, que andastes e andas com o mundo no teu regaço
És a mãe que fazes sair vida do fundo da panela
Nos primeiros anos de ti sai o amor e o caminho
Sai o ódio a Ética e o pão
Faz que no jardim viva toda a cor de flor, haja carinho
De ti mãe morena, preta ou branca abre teu coração
De teu coração mãe pode sair amor e igualdade
Não deixes que o interesse envenene o leite de teu pensar
De ti mãe, pode germinar o vírus da igualdade
Mulher, tens no teu peito o livro da educação
Vive em ti o prazer, liberdade e amor
Faz mãe tudo valer, para que o universo seja uma nação
Todos juntos elevar-mos cânticos ao criador
Mãe este dia a ti dedicado, transforma-o na força que encerras
Fazei que vossos filhos sejam amantes da paz
Que terminem no mundo todas as guerras
Não te quero ver mãe, pelo teu filho chorar
Não te quero ver ir acompanhar o seu caixão
Mas sim tu, junto a ele com uma enxada o solo cavar
Para que o mundo inteiro tenha alegria e pão
Amo aquela que foi mãe seis vezes comigo
Corremos meio mundo procurado pão e igualdade
Hoje tem em cada filho um navio, mais um amigo
Amaria mãe, que teus filhos navegassem em liberdade
E o teu dia mãe, lembra-te, guerras não trazem alegria
Semeia o vírus da paz, darás valor a esta poesia
Mãe de toda a cor, deixa-me te abraçar com amor.

 


Por: Armando C. Sousa

 

Formatação do site

autorizada pelo autor
 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados