NADA JAMAIS IGUAL
 


 
   Não sei como agradecer por tanto amor ter recebido
   Amor assim, é impossível não sendo puro, ser oferecido
   Dá para sentir vergonha por ter sido tão mal agradecido 
   Apesar de tantas faltas causar ter sido por vós protegido 

 

 
   Jamais a humanidade passou por uma experiência assim
   Andando muita agitada pensando só em lucros sem fim   
   Movimentos se criaram onde muitos lucros loucos vão adquirindo
   Arranjando forma de enriquecer com tostões aos pobres extorquindo
   Impensável até, pois o que para o pobre seria, para o rico vai fugindo 
   Semeando a incerteza, será que quem diz ajudar, estará o mal infligindo?

 
   Imensuravel é o amor do criador que por nós está sempre olhando
  Guardando-nos com seu amor dos vermes que nos estão sugando
  Ubicados estamos sem saber o rumo que governos estão tomando
  Adormecidos também, que seria, se DEUS não estivesse ajudando 
  Largas dou ao pensamento, e para o CRIADOR, eu ergo meu pranto.

 

 Virgílio Roque (Gilíto)

Viseu/Portugal, o4 de Novembro de 2012

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados