Dorme, menina...dorme.
 
Pela janela do meu quarto ela chegou...
Parecia aflita e me olhava contrita.  Olhar  suplicante...agonizante.
Peguei-a, com jeito.
Ela desfaleceu.
Ah! Não! Não pode ser...minha borboletinha azul estava
com uma asinha quebrada.
Não deixei que se debatesse mais. Acalentei-a com carinho
e, cochilando, ainda, entre lágrimas,  perguntei:
- Para onde você vai, amiguinha, se...
- Se...eu vou para o céu.
Meus olhos e coração infantil não se contiveram.
E não voltará, jamais?
Não...Serei uma estrela.
- Uma estrela azul?
- Sim.
Nada mais ouvi depois disto.
Minha borboleta azul...se foi.
Minha única borboleta que ganhei de presente da primavera.
A única que existira, para mim, até então.
Procurei-a por dias, incessantemente.
Dias acinzentados, nublados, em que as estrelas
não apareciam.
Dias tempestuosos em que relâmpagos riscavam
o céu que nem se via mais.
Pobre borboletinha azul...
Onde terá se escondido entre chuvas e tempestades?
Mas...um dia o sol brilhou...a lua apareceu e as estrelas, cintilavam mais do que nunca, aos olhos meus.
Voltei-os para o céu e chamei por minha borboletinha.
Quantas estrelas apareceram  e como cintilavam.
Eram de todas as cores...belas!
Amarelas, vermelhas, verdes...
De repente, uma constelação azul apareceu.
Bailavam, felizes...Estrelas meninas, adolescentes,
crianças e bebês.
E eu fiquei...fiquei feliz.
Feliz por descobrir , por mim mesma que o céu ...
é tudo de bom que nos espera.
O céu é o  apogeu do sonho e da espera.
Onde reinam  fadas e anjos e todas as borboletas .
Todas...
 E descobri, mais ainda, que minha borboleta não estava só.
Espécies raras a acompanhavam e se propagavam,
a cada anoitecer.

Menina...acorda...
Acorda!
Levanta! Olha...
Olha no jardim uma borboleta...que bela.
É uma borboleta amarela.
Afinal...eis que surge, novamente a primavera.
Por um momento retive meu pensamento longe.
 Tomou-o a saudade...uma saudade azul... que virou estrela
e mora no céu.
Onde moram  muitas outras borboletas , muitas...
 
E...nem todas as borboletas eram azuis!

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


 

Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados

 

"Quando olhares nos meus olhos, pode ser que me ames. Eu Te Amo! Sem ter que olhar nos Teus!"