Encontrei no quintal um barquinho

ao léu, e abandonado.

Imaginei que estivesse tristinho

Desguarnecido, e mal tratado.

 

Meu coração bateu forte.

Meus olhos se umedeceram

Queria mudar-lhe a sorte

e, todos os anjos creram.

 

Enchi-lhe de terra e, sementes,

plantadas foram no barco

As sementes floresceram

E o barco tornou-se encantado.

 

Na primavera, que surpresa!

O barco encheu-se de flores

Naveguei aquela beleza

Num mar em ondas de amores

 

 

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados