Custa muito quando se houve dizer

Porque, quando do amor se faz falar

Se há-de no coração sempre pensar?

E neste, por palavras sempre a condizer?

 

Isto revela grande grau de ignorância 

E pouca vontade em se querer conhecer

Prestando quase nenhuma importância

Para o corpo e sentimentos querer descrever.

 

Permite a física, a técnica e ciência actual 

Mais avançada que ao tempo de Pascal

Esclarecer alguma coisa, causa ou razão 

Pois nesta era actual conhecemos o electrão

 

Se o coração gera e trabalha por electricidade

E as sístoles e diástoles dão a sua funcionalidade 

Um campo magnético, pela percepção da lógica     

Actua e faz sentir a sua própria interacção biológica

 

Que, se soubermos bem coordenar e melhor gerir 

Podemos, algo maravilhoso por muitos interligar

Ao que chamamos de amor entre nós vivos produzir

E entre uns e outros mais nos podermos respeitar 

 

Ama ao próximo como a ti mesmo, Jesus o afirmou

Pois na sua áurea magnética a todos nos abraçou

 

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados