Um certo dia, amiguinho,

na fazenda do meu pai

caiu uma chuva atrasada,

saiu arrasando a estrada

e a ponte até caiu.

 

O boizinho lá no pasto,

o cavalo, o porquinho,

os gatos e  os cachorrinhos,

ficaram muito assustados...

Se uniram, em companhia,

e, quando vinha a trovoada,

Era o horror da bicharada

Que da chuva se escondia.

 

Até que um dia, que beleza!

O sol com sua nobreza

surgiu no céu a brilhar.

E a bicharada feliz

pela fazenda corria

festejando, com certeza,

a vida e a beleza.

 

Plantadas foram as hortas,

pomares e jardins

Mas...acreditem, amiguinhos,

os amigos passarinhos

tudo comiam, enfim.

 

Dai surgiu a idéia

de um espantalho criar e, aos pés

de nosso espantalho,

comida para os bichinhos

e também os passarinhos.

 

Com palha e roupa bonita

vestiram o espantalho que,

à princípio não gostou mesmo,

de ficar pendurado como um galho.

Por alguns dias não sorriu,

acho que até chorou mas

depois se acostumou

pois tudo foi diferente.

 

Com a comidinha a seus pés

Todos bichinhos vieram...

queriam se alimentar

Sem esquecer o Espantalho,

que de triste feito um galho

Agora estava feliz. 

 

Os passarinhos trouxeram as folhas,

trouxeram também as flores

para o amigo enfeitar.

A seus pés, delicados vasinhos

floriam e os coelhinhos,

depois de tanta proeza

Vinham prá descansar.

 

E o nosso amiguinho,

que nunca adormecia...

Plantou um sorriso nos rosto

Para adornar-lhe o posto

Que eternamente quis.

 

lembrando que, com certeza,

Na vida, tudo é possível,

basta querer e ele quis

Não é mais triste espantalho

É um Espantalho Feliz

 

 


Imagem cedida por Jô Designer.

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados