A mulher bela tem, como o homem de inteligência,

Em certos momentos, intuições enérgicas de poesia;

Nessas ocasiões ambos irradiam:

A mulher fica esplêndida, o homem fica sublime." –

José de Alencar

 

  

 

CIDA, quando contemplo este retrato

Penso, quando hoje é tão bela assim,

O sucesso que fazia em aparato,

Quando há anos passava no jardim!

 

Arrasava qualquer Apolo gaiato,

Com galantes minervas sem fim,

Parava o trânsito co’o belo “formato”,

Não passava,Mulher, sim, querubim….

 

…Caído do celeste Firmamento,

Era um reboliço no movimento,

Quando aparecia n’avenida…

 

…Inda hoje com tão belo busto,

Eu diria, com respeito, sem custo:

Que mulher? Seja bem apareCIDA!

 

  

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados