Puxa, meu Deus... por que é que a gente sofre tanto?

...por que é que o pranto chega sem ser convidado?

Por que é que a vida é feita de desencanto?

Por que o encanto mostra sempre o outro lado?

 

Puxa, meu Deus, por que é que o sonho se dissipa?

...por que é que a dor se antecipa ao sorriso?

Por que é, Senhor, que o nosso amor não participa

Da emoção de um coração tão... indeciso?

 

Puxa, meu Deus, há tanto sonho em cada peito

Insatisfeito, procurando a alegria

Da emoção de ser feliz, quando é desfeito

Todo o desejo de dar vida à fantasia...

 

Puxa, meu Deus, se a verdade é tão cruel,

Que a gente minta a solidão e, nos espelhos,

A gente veja um anjo vindo lá do céu

E nunca um homem solitário... de joelhos.

 

Puxa, meu Deus, é muito triste ser adulto

E ver o sonho envelhecer dentro de nós...

Ver os desejos transformarem-se no vulto

Da solidão humanamente tão atroz...

 

Puxa, meu Deus, há um milagre em cada prece

Que arrefece quando a angústia é poderosa,

Mas teu amor supera a dor que entristece

O nosso amor, quando a tristeza é mais teimosa.

 

E se o milagre improvável acontece,

Puxa, meu Deus, a sensação que nos invade

É tão bonita que cativa e enternece

O coração com a mais sutil felicidade...

 

Por isso, Deus... faz com que a gente realize

Nossos desejos de maneira natural

E que o amor que há em ti nos tranqüilize

Quando a angústia nos trouxer a dor e o mal.

 

Que o teu milagre surja sempre em cada irmão

Que nos ensine até mesmo sem querer

Que é no pulsar do mais tristonho coração

Que cada sonho faz  o amor sobreviver.

19:25 h - 25 de fevereiro de 2007

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados