Vivo momento na vida
Que canto só para esquecer a miséria,
Os símbolos e as contradições da poeta numa ignóbil dança
Que levei por anos a acreditar, a admirar e a amar.
Foi minha loucura pura e completa, nem sequer ignorância!
Cantei de alma pensada, do ser humano ao abismo,
E nunca dela apenas duvidei!
Como da tristeza profunda por nada saber sobre a rejeição,
De amor segue o meu canto pobre e cheio de emoção.
Canto de loucura, que nada serviu humana consideração,
Canto de quem melhor estaria sem ar, canto de um ser ignorado,
Canto de quem o inferno e terra têm troçado,
Canto de quem canta, porque ainda agora ouvi um lindo ser dizer:
“Que lindas...vou deixá-las no meu jardim...”.

 

 

 


São Paulo, 10.IX.2014
17h48m

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados