O vento bateu em minha porta e janelas

tinha em si um som triste e sonhador.

A cortina esvoaçou as flores belas...

Acariciando, sobre a cama, o cobertor.

 

O tempo que passou, ante meus olhos

Não tinha pedras e nem tropeços, tinha.

Era um olhar leve e sem abrolhos

Um caminhar de quem feliz caminha.

 

Foram-se, porém, as estações

Levadas, simplesmente, pelos tempos.

Minha alma sente frio nos verões

Há calafrios em lembranças e pensamentos.

 

Tu te retornas de infiel desdita

E à minha porta bates com sofreguidão.

Visto-me, com elegância pois a visita

É de especial rigor, para o meu coração.

 

 

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados