Desnuda, deliciosamente me envolvo.

Alia-se à mim, uma sensação doce e estranha.

O desconhecido me invade e pássaros

fazem ninho junto a música que ouço.

Meu corpo desobedece a presença da solidão

 e um furor me enrubesce, incendeia.

Sorrateiramente abro o palco ...

Com doçura, vejo a cena.

Alcanço o “timer” da luz e desdenho os giros.

Imagino seu corpo

Envolvo-me acanhada nos lençóis

Aceleradamente meu coração se descompassa

...Entrego-me às minhas mãos.

 

Delicadamente tento me controlar.

O suor, no entanto, enlouquece-me os sentidos.

Sinto-me insondável

Incontrolável!

Indomável!

Inevitavelmente estou tempestade

Agigantada em raio...

Que explode enlouquecido.

Reaparecem os sóis.

Aconchego-me aos lençóis

... E ficamos sós

Outra vez...

Eu...

...E a saudade de você.

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados