O bocado de espaço que me coube
Neste mundo onde estou, foi oferenda
Da mão do grande Deus. Nunca soube
Toda a razão de ser da minha senda.

 

Nunca soube o motivo do destino...
Foi senda certamente concedida
Pra vencer o desafio onde estimo
Obter uma vitória nesta vida.

 

Nunca roí a corda à minha sorte
Pra não cair da borda emaranhado,
Mas tive de forçar algum suporte
Quando se encontrava dislatado.

 

Cometi alguns erros, digo falhas:
Escolhi um mau livro dum acervo,
Rompi o tecido doutras malhas.

 

Mas, se às vezes creio que alcancei
O Sol que dá calor a todo o nervo,
Outras houve em que soube: nada sei.

 

O Amor é uma senda que perfilha?
Decerto grato a Deus por ser seu servo
E me deixar viver na maravilha.

 

 

 

 

2005

 




Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos

   


 


 


No ar desde 30/07/2008



Deixe um recadinho no meu livro de visitas


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados