Onde foi que me perdi... pensando
ilusões !
Bebendo, do sereno a poção mágica,
Sorvendo em minhas narinas, o cheiro das
Damas da Noite, inebriantes...
Apalpei as asas dos pássaros e voei anjos.
Peguei um floco de nuvem, antes que a chuva caísse
E me escondi atrás do arco-íris.

Voa pensamento...
Rasguei o peito e incrustei uma espada
que ninguém desembainhou por mim.
Matei-me em minhas dores e morri-me,
Desidratada por minhas próprias lágrimas.

Voa pensamento...
Mas voa ágil, sorrateiro.
Rasa um olhar periférico e te assegures
De que nenhuma outra força misteriosa me capte.
...É que eu sinto que um outro pensamento forte
Pensa em mim...
E me quer...
Para amar!









Talvez eu seja só pensamento...
Diferente dos sonhos, sou a
condutora, uma viajante que em
certos momentos vai ao desvario...
Culpa da paixão ardente que não
me dá trégua e voa longe o
pensamento, faço do inclemente
deserto, jardim florido e dos
olhos que amo, sol poente...
Ao redor da lua cravo topázios,
te desenho no centro e na neblina
da noite te venero...
E voa o pensamento a mercê
da minha vontade, faço do
rouxinol um trovador...
Ouço a alma dos caminhos que me
falam de amores... saudade...
Não me vence o inverno da vida,
vivo um outono contínuo,
estação que você cruzou o meu
caminho...





Clique Aqui e Envie
Para Seus Amigos



No ar desde 30/07/2008


 


| Home | Menu | Fale Comigo | Voltar |


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 800 X 600
Copyright© Arte & Poesia - 2008 - Todos os Direitos Reservados